Nefrite Lúpica: como o lúpus pode afetar os rins? | CDRB

Nefrite lúpica: como o lúpus pode afetar os rins?

| 30 de novembro de 2020


Você conhece o lúpus? Nessa doença, o nosso sistema imunológico ataca os próprios tecidos. Em níveis superficiais, tem efeitos na pele, e em níveis avançados, ele pode atingir alguns órgãos internos, como os rins, levando à doença renal crônica. No artigo abaixo, você vai entender um pouco melhor sobre como essas duas condições estão relacionadas e sobre como funciona o tratamento.

 

O que é lúpus?

Antes de tudo, é importante saber que o lúpus eritematoso sistêmico é uma doença autoimune de caráter inflamatório e crônico. Ela não possui uma causa específica, mas pode ter relação com fatores genéticos e hormonais. Os principais sintomas começam a aparecer quando há um desequilíbrio na produção de anticorpos. Com isso, surgem algumas inflamações no corpo.

 

O lúpus pode ser de dois tipos:

 

  • Lúpus cutâneo: quando se manifesta por manchas avermelhadas na pele
  • Lúpus sistêmico: quando afeta órgãos internos

Por ser uma doença relacionada ao nosso sistema imunológico, ele pode se manifestar por meio de sintomas mais gerais, como dores e mal-estar, e também com sintomas específicos, relacionados ao funcionamento do órgão atingido.

 

Como o lúpus pode afetar os rins?

Entre 10 e 30% dos casos de lúpus evoluem para doença renal crônica. Quando o lúpus é do tipo sistêmico e suas inflamações chegam até os tecidos renais, a ação de filtragem de toxinas exercida pelos rins fica comprometida. Quando isso acontece, temos um caso de inflamação chamado de nefrite lúpica.

Esse quadro de acometimento do funcionamento renal pode vir junto de alguns sintomas, como:

  • Urina avermelhada
  • Urina espumosa
  • Inchaço no corpo
  • Elevação na pressão arterial

Para um paciente descobrir a causa exata da nefrite lúpica, o mais indicado é fazer uma biópsia renal, já que existem 6 tipos de acometimento lúpico nos rins.

 

Qual é o tratamento para lúpus?

O lúpus não tem cura, mas o tratamento é muito importante para dar mais qualidade de vida ao paciente. Uma das formas é o acompanhamento médico, sob medicamentos receitados pelo médico responsável para controle dos sintomas e diminuição das crises de inflamação.

Além disso, em alguns casos, é preciso também haver mudanças no estilo de vida, como a proteção contra os raios solares e uma dieta própria e adaptada por um nutricionista para evitar os avanços da doença.

Assim, para casos de nefrite lúpica que evoluem para doença renal crônica, (DRC) o transplante renal também é uma opção de tratamento. Nesse caso, a recorrência do lúpus no rim transplantado varia entre 2% e 11%. Os riscos e benefícios desse tratamento para pacientes com lúpus são semelhantes aos dos pacientes que não têm lúpus.

 

Como evitar o lúpus?

Portanto, embora não seja uma doença prevenível, é preciso estar atento aos principais sintomas da doença, porque às vezes eles são os mesmos de outras doenças. Uma rotina de check-up anual é o mais indicado para verificar de forma mais assertiva como está o funcionamento dos seus órgãos.

Na CDRB, temos uma equipe especializada em nefrologia que atua de forma multidisciplinar, olhando para o paciente como um todo. Dessa forma, nós acreditamos que mudanças no estilo de vida são fundamentais para qualquer tratamento. Há quanto tempo você não faz uma consulta de prevenção com um nefrologista?

 

Marque uma consulta!

Baixe agora

E-BOOK DE RECEITAS RENAIS

Paciente renal pode ter uma dieta apropriada e gostosa sim!