logo CDRB

Estágios da DRC

| 11 de agosto de 2018


A doença renal crônica tem 5 estágios, que são definidos pelo volume de sangue que o rim é capaz de filtrar. Nós da CDRB queremos te ajudar a enfrentar os desafios dessa doença e ter uma vida que vale a pena ser plenamente vivida.

O que define os estágios da doença?

A doença renal crônica tem 5 estágios, que são definidos pelo volume de sangue que o rim é capaz de filtrar. Um rim normal filtra de 90 a 125 ml de sangue por minuto. Essa é a chamada taxa de filtração glomerular normal, avaliada pelo nível de creatinina no sangue. O paciente com doença renal crônica diminui lentamente essa taxa, até que o rim não seja mais capaz de desempenhar sua função.


Como é o estágio 1 da DRC?

No primeiro estágio da doença, o rim desempenha plenamente sua função, filtrando acima de 90 ml de sangue por minuto. Porém, quem está nesse estágio possui fatores de risco (como perda de proteína ou sangue pela urina, exame alterado de imagem renal, alterações à biópsia renal) que provavelmente irão comprometer o desempenho renal a longo prazo.


Como é o estágio 2 da DRC?

Classifica-se no segundo estágio da doença o paciente com a taxa glomerular de 60 a 89 ml por minuto. Geralmente esse estágio é chamado de fase pré-insuficiência renal, que ainda não tem sintomas e não compromete o desempenho do organismo. É  comum em idosos, por uma redução da sua capacidade renal pelo envelhecimento dos rins (o que ocorre em ⅔ dessa população). Nesse momento deve haver prioridade no controle de fatores de risco para que a doença não avance para um estágio mais crítico.


Como é o estágio 3 da DRC?

No estágio 3, a taxa glomerular já é de 30 a 59 ml de sangue filtrado por minuto. É quando o paciente começa a ter os primeiros sintomas de forma ainda discreta. Nesse momento é preciso agir ativamente para retardar ao máximo a progressão da doença com o início do tratamento conservador.


Como é o estágio 4 da DRC?

O estágio 4 já é visto como crítico, conhecido como estágio pré-dialítico. Nele, o paciente só é capaz de filtrar de 15 a 29 ml de sangue por minuto e começa a sofrer as consequências do acúmulo de toxinas no sangue. Alguns sintomas são a desnutrição, anemia, enfraquecimento ósseo, cansaço e edemas.


Como é o estágio 5 da DRC?

Neste momento a taxa glomerular é menor do que 15 ml por minuto e o rim não é mais capaz de desempenhar suas funções básicas. Por isso essa fase é chamada de terminal ou dialítica. É necessário iniciar imediatamente a substituição do órgão, com um tratamento renal substitutivo.


Descobri que estou no estágio terminal da doença. A minha vida acabou?

Não, uma nova fase da sua vida começou. Apesar de parecer assustador estar no último estágio da doença,  apenas o seu rim está perdendo as funções, não você. A boa notícia é que atualmente, o rim é o único órgão do corpo humano que as máquinas conseguem substituir. A partir de agora você vai precisar recorrer a um tratamento renal substitutivo (como a hemodiálise, a diálise peritoneal ou o transplante renal), mudar algumas coisas na sua rotina e perceber que é possível  viver bem, com plenitude e felicidade essa nova fase da sua vida.


Assuntos relacionados

Recebendo o diagnóstico da Doença Renal Crônica

Descobri que sou um renal crônico. E agora?

Sobre a DRC | 29 de agosto de 2018
Nossa nefrologia é pela vida. Conheça a Clínica de Doença Renal de Brasília.

A doença renal crônica

Sobre a DRC | 16 de agosto de 2018

Nossa revista

Novidades, dicas, eventos e as pessoas que fazem a CDRB estão aqui! Baixe agora a última edição da nossa revista e venha conhecer de perto o que aconteceu nos últimos meses!