logo CDRB

Os tratamentos possíveis

| 11 de agosto de 2018


Preparamos conteúdo com as diversas possibilidades de Tratamentos para pacientes renais. Nós da CDRB queremos te ajudar a enfretar os desafios da doença e ter uma vida que vale a pena ser plenamente vivida.

O que é o tratamento renal conservador?

O tratamento conservador acontece quando o paciente renal está nos estágios 3 e 4 da doença renal crônica. O objetivo é retardar ao máximo a progressão da doença, por meio de um novo estilo de vida que busca conservar a saúde dos rins. Neste momento, é necessário recorrer a uma dieta especial e tomar medicamentos que melhoram os sintomas.


O que é o tratamento renal substitutivo?

Como o nome já diz, o tratamento renal substitutivo serve para substituir os rins quando eles não conseguem mais desempenhar sua função, o que ocorre no estágio 5 da doença renal crônica. Atualmente, existem 3 principais tratamentos substitutivos: a hemodiálise, a diálise peritoneal e o transplante renal.


O que é diálise?

O termo “diálise” significa “filtração”. Seu principal objetivo é separar o sangue dos resíduos e excesso de água que estão nele, além de garantir o equilíbrio do corpo, com a correção dos níveis de várias substâncias. Esta “filtração” acontece por meio de uma membrana, que funciona como um filtro, e o chamado líquido de diálise, que induz a movimentação do sangue por este filtro.

Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal. Seu médico decidirá com você o melhor tratamento.


Qual é a diferença entre hemodiálise e diálise peritoneal?

Na hemodiálise, “filtra-se”  o sangue do corpo do paciente, o qual  entra em contato com uma membrana e o líquido de diálise  por meio de uma máquina de alta precisão. O sangue é então filtrado e devolvido “filtrado” ao organismo. Já na diálise peritoneal, a filtragem do sangue acontece dentro do próprio corpo: é inserido um líquido de diálise na cavidade peritoneal (que fica no abdômen) e o próprio peritôneo, uma membrana natural do corpo, funciona como filtro.


O transplante renal é a cura para doença renal crônica?

Não. O transplante renal é considerado a mais completa alternativa de substituição da função renal, pois um novo rim volta a desempenhar sua função. Porém, embora este  tratamento seja o mais efetivo, o transplantado deve manter uma série de cuidados e sob medicamentos específicos, com consultas regulares para garantir a manutenção do novo órgão recebido.


Como conviver com a doença renal?

A doença renal crônica traz uma série de desafios para vida dos pacientes, mas com toda tecnologia disponível é possível viver e conviver bem com a doença. Oferecemos todos os tratamentos disponíveis com excelência certificada e vamos além, ao proporcionar um estilo de vida único adaptado à nova fase da sua vida. Conheça a CDRB e descubra como fazemos a nefrologia pela vida.


Assuntos relacionados

Recebendo o diagnóstico da Doença Renal Crônica

Descobri que sou um renal crônico. E agora?

Sobre a DRC | 29 de agosto de 2018
Nossa nefrologia é pela vida. Conheça a Clínica de Doença Renal de Brasília.

A doença renal crônica

Sobre a DRC | 16 de agosto de 2018

Nossa revista

Novidades, dicas, eventos e as pessoas que fazem a CDRB estão aqui! Baixe agora a última edição da nossa revista e venha conhecer de perto o que aconteceu nos últimos meses!